Quem nunca plantou feijões na sua infância? Era pegar uma embalagem de iogurte ou danoninho, colocar um maço de algodão, colocar o feijão e esperar alguns dias para verificar se seu brotinho tinha “pego” ou não. Tendo esse sentimento nostálgico em mente, eu trago a você, meu Nobre Leitor, um jogo com esse sentimento. Que tem isso, e ao mesmo tempo não tem. Não entendeu? Então vem comigo amigo, pois hoje é dia de Bohnanza.

Em Bohnanza, os jogadores têm de plantar, trocar e colher feijões em troca de uns trocados. Nesse jogo há uma regra de ouro, importantíssima e que não deve ser esquecida. Você jamais pode alterar a ordem das cartas em sua mão. Gravou bem na sua cabeça? Então agora vamos falar mais sobre esse jogo.

Originalmente, Bohnanza veio ao Brasil pela COPAG em num passado não tão distante porém, em 2017, a PaperGames o trouxe de volta à vida. Comparada a versão antiga, essa mais recente tem algumas regras alteradas e mais atualizadas, comparada à antiga. Além disso, quem comprou na pré-venda, ganhou as cartas de coringa, que são um mimo a mais pra quem se aventurou. Mas a essência do jogo continua a mesma, plantar feijões e colhê-los.

A cada rodada, os jogadores se alternam fazendo as seguintes ações:

  • Plantar as cartas de feijão de sua mão;
  • Virar e trocar cartas de feijões;
  • Plantar as cartas viradas e trocadas
  • e por fim, comprar cartas de feijão.

E onde está a magia do jogo? Bom, cada tipo de Feijão tem uma quantidade limitada de cartas, e toda vez que você pontua aquela carta, você tira de jogo algumas dessas cartas. Se você já jogou Don Capollo ou Fungi, ambos os jogos têm uma dinâmica bem similar, uma vez que está escancarado que foram altamente inspirados por Bohnanza.

Bohnanza apresenta dois problemas para mim, mas calma lá que eu explico. O primeiro problema é que o jogo não “roda de dois” originalmente. Há o Bohnanza: Duel para sanar esse problema, mas se você não quer desembolsar mais grana para jogar esse jogo com sua cara metade, existe umas variações criadas por fãs para agradar a quantidade de jogadores que você quiser. Basta dar uma conferida. Na Ludopedia tem, confere lá na aba arquivos do jogo. O segundo problema, que não é bem um problema, é que no original, os nomes dos feijões têm certas piadinhas e, juntamente com a arte, trazem um humor ao jogo. Perdeu-se essas piadas na tradução, e eu acho que poderiam ter dado um jeito nisso, mas como eu não tenho nada a ver com isso, só vou registrar a minha reclamação aqui mesmo.

Bohnanza é um excelente jogo de entrada, e dá pra apresentar para todos os “níveis de jogadores”. Desde os hardcores até os casuais. Então, se você tem um espacinho na sua coleção, e tá com uma graninha no bolso, vai de Bohnanza que é só sucesso.

Meus Nobres, eu vou ficando por aqui, mas quero saber quem aqui já jogou esse clássico ou alguma de suas variações. Deixa aí nos comentários. Eu fico por aqui, um abraço e até a próxima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *