Unidos pela paixão aos jogos de tabuleiro (board games) 7 amigos decidiram se reunir para transformar esta paixão em um negócio. Assim surgiu a Lost Token! Nosso objetivo é gerar conteúdo de qualidade e criar board games que cativem e encantem a todos. Venha conosco nesta incrível jornada e aprenda mais sobre o mundo dos board games no caminho!

Nosso Time

Bruno “Chewie” Teixeira Silva

Bruno é engenheiro químico por formação, mas passa maior parte do seu tempo jogando os jogos mais difíceis que encontra. Estrategista que adora experimentar novas formas de vencer nos jogos, sejam eles de tabuleiro ou não. Tende a pensar demais em todas as coisas. Músico, jogador e cientista seriam seus títulos auto-atribuídos mais importantes. Já fez 99 pontos em 5 rodadas no Azul, 41/4 de Ursa no Dota 2 e reza a lenda que já perdeu para coreanos no Starcraft 2.

Igor “Biscoito” Gonçalves

Biscoito é engenheiro de controle e automação e trabalha como desenvolvedor de sistemas. Tem 26 anos é casado, pai de família, cristão, fissurado por Board Games e nas horas vagas destrói a casa das pessoas alheias. O vício por BG’s começou em 2016 e, desde então, não consegue ficar 1 semana sem jogar, devido a esse vício inseriu esse hobbie em sua housedência (residência, no dialeto Biscoitês). É Apaixonado pelos jogos temáticos, principalmente Senhor dos Anéis, mas não larga mão dos “euros” abstratos. Ele tem em seu cerne que, o jogo só é bom quando ele ganha.

Jéssica “Mini Meeple” Campos Soares

Jéssica é Engenheira Eletrônica e de Telecomunicação, pós-graduada em gestão de negócios, trabalha com equipamentos médicos na área da oftalmologia e apaixonada pelo mundo dos games. Entrou no mundo dos Board Games no final de 2016 ao jogar com seu namorado e seus amigos, desde então não consegue mais se livrar desse vício. Fissurada em grandes desafios entrou na Lost Token para revolucionar o mundo dos board games e mostrar que as mulheres também são capazes de muito em uma mesa de jogo.

Lucas “Cavalo” Teles Dieguez

Pós graduado em gerenciamento de projetos e engenheiro de controle e automação sempre busca aprimorar todos os processos para que de alguma forma alcance a excelência.
Foi iniciado nesse vício através da defesa da resistência e do desejo de ser o maior colonizador de uma certa ilha. Dizem que a sorte escolheu o seu “chosen one”, deve ser por isso que é conhecido como “unlucky poney”. Além disso, possui um segredo obscuro, defende que um dos maiores jogos da atualidade na verdade não presta.

Pedro “Nodanna” Santana

“Tudo na vida pode ser comprado ou vendido. O que não puder, você toma na porrada”.

Pedro é Engenheiro Eletricista, músico, escritor com zero publicações lançadas, leitor voraz de Stephen King, eterno Prata II no LoL e o último Anão das Montanhas do Leste (Zona Leste é nóis). É fã de jogos cooperativos e tem tendência a gostar de Ameritrash.
É quase um Seu Madruga da vida real, tendo trabalhado de praticamente tudo na vida. Já vendeu geladeira pra esquimó, comida italiana em restaurante japonês e conseguiu comprar um Gameboy Color por uma palha italiana.

Rafael Coelho Antunes de Souza

Rafael é estudante do curso de Física, fotógrafo amador, aficionado por Board Games e um péssimo jogador de Brass. Conheceu os jogos em 2015 e de lá pra cá jogou mais de 100 títulos e possui cerca de 50. Jamais nega um convite para uma partida de qualquer coisa acompanhada de boa bebida. O jogo ideal para ele é aquele que pensar na sua ação demora mais tempo que explicar o jogo. Tem convicção de que existem 2 tipos de pessoas: As que gostam de Terra Mystica, e as pessoas que estão erradas.

“Tio” Ricardo Torres Alcântara

Ricardo é formado em engenharia eletrônica e de telecomunicação e possui MBA em gestão de negócios. Trabalha com consultoria empresarial focado em inovação e tecnologia, principalmente no mundo das startups. Desenvolvedor por natureza, é meio professor pardal e gosta de inventar moda. Abraça o estilo maker e constrói de tudo: maquinas, circuitos, programas, cosplays, miniaturas, brinca de marceneiro e por aí vai. Músico sempre que possível toca bateria na maior parte do tempo. Jogador padrão de War, Banco Imobiliário, Jogo da Vida e Detetive, conheceu o mundo mágico dos jogos de tabuleiro modernos em 2016 a partir de um certo Coelho e nunca mais saiu da toca. Dizem por aí que hoje é o rei do Imperial Settlers.